Conisud realiza Conferência Regional de Meio Ambiente com participação popular

Brasil é o 5º país com maior geração de resíduos no mundo, com 62,7 milhões de toneladas e metade desse lixo é comida

Mais de 250 pessoas participaram no sábado (31/8) da 1ª Conferência Regional de Meio Ambiente “Alto Tietê - Subcomitê Cotia - Guarapiranga”, convocada pelo Consórcio Intermunicipal da Região Sudoeste da Grande São Paulo (Conisud). A idéia inédita foi da Câmara Técnica que propôs ao presidente do consórcio, Chico Brito, e este acatou imediatamente a proposta.. Participaram representantes dos municípios de Cotia, Embu das Artes, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço e Taboão da Serra, vargem Grande Paulista.

A 1ª Conferência Regional do Meio Ambiente do CBH Alto Tietê - Subcomitê Cotia - Guarapiranga teve como tema a Política Nacional de Resíduos Sólidos. A conferência municipal cumpriu a primeira etapa da convocação para a IV Conferência Estadual do Meio Ambiente (Cema), feita pelo governo Federal, já que haverá as conferências estadual e federal. O evento foi realizado em Itapecerica da Serra e elegeu delegados para a etapa estadual.

Chico Brito abriu a conferência agradecendo aos oito municípios da região sudoeste pela sua recondução ao cargo de presidente do Sub-Comitê da Bacia do Alto Tietê (a eleição foi no dia 30/8) e anunciou que até o ano que vem o comitê aprovará todas as alterações nas leis específicas dos mananciais da Guarapiranga, Billings e criara leis parta outras bacias que não têm lei alguma.

 

Absurdo: metade do lixo é comida

O presidente do sub-comitê salientou a regulamentação da cobrança pelo uso da água. “A Sabesp e as grandes empresas não pagam pelo uso da água e nós vamos começar a cobrar”, alertou. Segundo ele, só com este mecanismo devem ser arrecadados mais de R$ 100 milhões, que serão aplicados em cada sub-bacia e em macroprojetos. Ele enfatizou, ainda, a implantação da usina de resíduos sólidos na região, cujo custo fica em torno de R$ 50 milhões.

Chico Brito contou que na sexta-feira conversou com o prefeito Chuvisco sobre conversa que teve com a reitora da Unifesp. “A área do Parque da Vázea será insuficiente para o plano diretor que a universidade está fazendo, até 2030 eles querem atender 10 mil alunos em, no mínimo, 11 cursos, inclusive medicina”, explicou o presidente do consórcio, que propôs ao prefeito de Itapecerica expandir o projeto para o terreno que fica em Itapecerica, de 1,800 milhões de metros quadrados. “Eu disse ao Chuvisco que podemos elaborar juntos o projeto, com nossos secretários e técnicos. É assim, baixando o ego e pensando na coletividade que vamos melhorar nossa região”, afirmou.

Também foi sugestão do presidente do Conisud, o convite a Carlos R. V. Silva Filho, diretor executivo da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Sólidos (Abrelpe) falasse aos participantes sobre a importância do tema. “Esse é um tema ligado à nossa vida e se não assumirmos um papel pró-ativo de cuidarmos do nosso lixo, estaremos prejudicando não só nossa cidade, nosso país e nosso planeta, mas também a nossa vida”, iniciou o autor de vários livros publicados sobre o assunto.

Segundo ele, estudo da ONU concluiu que de cada 1 dólar investido na gestão do resíduos sólidos, economizamos 5 dólares. Portanto, não é despesa, é investimento. “Temos que entender que é uma questão de saúde do ser humano, mas também de todo o nosso planeta, animais, vegetais e tantos materiais, como ouro, cobre e lítio, por exemplo, que estão acabando e vão prejudicar a nossa vida”, defendeu.

Carlos Silva disse que o Brasil é o 5º país com maior geração de resíduos, com 62,7 milhões de toneladas e metade desse lixo é comida. “Nosso maior desafio é a destinação do nosso lixo, porque quanto mais gente, mais consumo e, portanto, mais geração de resíduos. Precisamos pensar uma solução regional em que nossa população possa contribuir e ter clareza de que o destina é o mais adequado”, explicou, lembrando que quando a dona de casa coloca o saquinho de lixo para a coleta, ela não tem ideia para onde está indo o lixo que produziu.

Eixos temáticos

Todos os participantes destacaram os objetivos da conferência: debater a Política de Resíduos Sólidos (criada em 2010), contribuir para a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos; divulgar ações e incentivar parcerias entre o poder público e sociedade civil; contribuir para que os municípios solucionem os entraves e superem os desafios na implementação da gestão dos resíduos sólidos e difundir práticas exitosas que possam contribuir para a construção de políticas públicas locais e regionais.

Quatro eixos temáticos da “Política Nacional de Resíduos Sólidos” foram debatidos pelos participantes que fizeram propostas que serão encaminhadas para a conferência estadual. São eles: Produção e Consumo Sustentáveis; Redução dos Impactos Ambientais; Geração de Emprego, Trabalho e Renda e Educação Ambiental.

A comissão organizadora – a Câmara Técnica de Meio Ambiente do Conisud – fará a sistematização e consolidação do relatório final que será encaminhado para a comissão organizadora do IV Cema, a fim de compor a pauta da conferência estadual.

Compuseram a mesa de abertura:os prefeitos Chico Brito (Embu das Artes), Roberto Rocha (Vargem Grande Paulista); os vices-prefeitos Laércio Lopes (Taboão da Serra), professor Carlos (Vargem Grande Paulista); deputado estadual, Geraldo Cruz; vereadores de Embu das Artes, Doda, Rosana do Arthur e Pedro Valdir; Cícero Costa (vereador de Itapecerica da Serra), Clóvis Pinto, Chefe de Gabinete (Itapecerica da Serra) e os seguintes secretários municipais de Meio Ambiente: Arilson Romão (Taboão da Serra), Geraldo Juncal Jr. (Embu das Artes), Leda Maria Aschermann (Itapecerica da Serra) e Mário Camargo (Cotia), além de Walter Mateus Campos (secretário de Planejamento Urbano e Obras Municipais de Vargem Gde. Paulista), José Marcondes (assessor Meio Ambiente de Embu-Guaçu), Paulo Estevão (diretor do Depto. De Meio Ambiente de São Lourenço da Serra) e Patrícia Machado (diretora de Meio Ambiente Taboão da Serra).

Também presentes: Agnaldo Aparecido de Jesus, da Unidade de Gerenciamento da Sabesp – Cotia, João Ramos, presidente da Agência Municipal de Limpeza Urbana de Embu das Artes (Amlurb) e, Valter Tesch, representando a Secretaria de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo.

Rita de Biaggio

 

Geração de Resíduos Sólidos

No mundo

2011 = 7 bi hab. = 1,3 bi/ton RSU

2050 = 9,5 bi hab. = 4 bi/ton RSU

No Brasil 

32,8 mi/ton - 58% - destinação adequada

23,7 mi/ton - 42% - destinação inadequada

No Estado de São Paulo

Geração de RSU - 17,7 milhões t/ano

Coleta de RSU - 17,5 milhões t/ano

Destinação RSU - 76,3% At. Sanitário

15% At. Controlado+8,7% Lixão 

Nos municípios Conisud

33.000 ton/mês - depositadas nos aterros

773 ton/ mês - recicladas

 

 

Rita de Biaggio

 

Cidades Consorciadas 
 
Revista do PPA Regional Participativo 

 

                    TV Conisud

 

 


 


 


Rua: Minas Gerais, Nº. 58 - Pq. Paraíso
Itapecerica da Serra - SP

Conisud


Equipe
E-mail: conisud@conisud.sp.gov.br
Telefone: (11)4385-0946


A reprodução do conteúdo deste site poderá ser feita desde que citada
a seguinte fonte: extraído do Portal do Conisud